terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Impossibilidades









É impossível ter vida acadêmica, blog e vida social.
Dentre as três opções, uma é inevitável e a outra é o que me banca. O blog posso largar.
Resumo: tá nevando, vou para Alemanha com o Aureo, tenho um círculo de conhecidos razoavelmente vasto, fiz meu exposé no francês, peguei o titre de sejour, engordei ;-) , to ganhando bem (até!), terminei de ler meu livro e amanhã devo terminar meu trabalho (obviamente é por isso que estou escrevendo aqui... para fugir dele). É só! Ah não... não é... tem umas fotos aí em cima da Festa das Luzes. Agora sim!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Festadas Luzes - I


Tô tão cansada... meus pés doem... ontem eu andei por baixo uns 12 km...
mas está tão legal =D
São tantas línguas, tantas pessoas... Tantos lugares diferentes reunidos aqui em Lyon.
Adoro ficar com os brasileiros e ver como somos diferentes e, de repente, achar uma chinesa com a qual eu passo 2 dias e não me enjoou. Ou uma francesa que escuta as mesmas músicas, dança do mesmo jeito e ri das mesmas coisas. Todos os portugueses que estão aqui também são super queridos, mesmo o embaixador que ficou aqui =p Brincadeira... o cara já viajou o mundo e tem muit para ensinar. Eu é que tenho maneiras difíceis de aprender. Enfim, eu que nunca queria ir pra lá, agora quase quero =) Quem sabe estando lá e tomando muito Porto eu pare de achar um saco aquele saudosismo todo. Afinal, a gente não gosta do que não entende. E foi sempre assim.



Bah! O vegetariano é a pessoa mais indepente que já vi. Eu achei que eu era, mas não. Eu não gosto de andar 1 hora às 5 da manhã com um mapinha e num frio da porra.... e ele parece fazer isso com prazer para conhecer a cidade. Ele não dá beijo quando chega! Ele gosta de wafer... Foi uma ótima idéia caprichar no café da manhã, até porque ele fica com os anglófonos e eu com os francófonos, e assim passamos o dia todo longe.
Ah, hj também dormiu aqui em casa um francês que perdeu o último ônibus. Estou super feliz por ter conseguido um jeito de ajudar as pessoas mesmo morando nesse quartinho. Corri e peguei um colchão de uma finlandesa que estava emprestado para uma chilena... Deu tudo certo e estou contente. Estou contente de a cada dia tomar café da manhã (ou pequeno almoço. heheheh em PP é assim e eu não sabia... achei que era uma tradução de petit-déjeuner ;) lgtas bizarros...) em uma língua diferente e escutando uma história diferente.
Da próxima vez que eu for receber gente, vou ver se não tem alguém da Tailândia. Hoje eu preciso muitooo de uma massagem!
Bom, esse foi o primeiro post da festa das luzes, diretamente aqui de Lyon (hehehe agora vou trocar meu gênero textual a cada post! Ao menos foi me divertir mais escrevendo aqui).

E eu volto depois com as fotos!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Achados...

Do último post para cá... achei muitas coisas.
Minha luva perdida, tempo para ler o meu livro de GC-HC, um café que se chama BONNE NUIT, um bar que toca indie-rock e uns amigos...
Também achei um vinho de 85 centavos!!!!
Ok, ele não é exatamente genial... mas o custo benefício, é uma beleza.


sábado, 29 de novembro de 2008

Expectativas

Essa semana que passou foi super corrida e a que vai vir vai ser ainda pior.
Eu estou indo na faculdade (embora tneha abandonada as aulas de yoga), trabalhando, lendo, escrevendo, saindo... E sair gasta muito meu tempo e minhas energias, embora eu tenha aprendido mais ou menos a como não gastar muitos euros com isso.
Enfim... a história da árabe ficará para depois (ou seja, para nunca). O importante é que ela me explicou as diferenças entre árabes ricos e pobres, árabes de diferentes países, árabes mulçumanos e não mulçumanos... e principalmente, me explicou a diferença da África negra e com práticas étnicas (e esse acento, todos nós linguistas sabemos que não deveria existir... e eu não sei se com a nova reforma ele ainda está aí) e da África mulçumana. Que não são os árabes que tiram os clitoris das meninas. Por que eu sou tão desinformada que preciso vir pra França para descobrir isso? E olha que eu já tinha lido muita coisa sobre isso...
De qualquer forma, eu continuo sem opinião formada... sobre os árabes (e sobre os chineses...) mas os aceito muito melhor e sei que eu não sei nem 10% da história. Então eu que cale minha boca...

Antes de calar minha boca de fato e voltar pro meu livro de GC-HC (gramática categorial hard core), aviso que estarei meio away do blog por causa do trabalho que estou fazendo e da festa das luzes. Vou receber uns surfers aqui em casa (!!!) e estou muito exciting com isso! Mas isso também me toma tempo... vou ter um vegetariano aqui e só fico pensando o que ele vai comer... Por sorte estamos na França e tem muitos queijos... além de eu ter descoberto um pacote de wafer maravilhoso e enorme por 1,39€! Salada-queijo-wafer... O que mais um vegetariano pode querer?

Sorvete.

Eu quereria sorvete.

Enfim... o outro é um embaixador e vem de Portugal... e isso está me deixando nervosa... Porque eu já fui recebida pelo embaixador da França, mas receber um embaixador dá medo ;-) Pro bem ou pro mal.
Fora isso, eu estou muito animada com a festa das luzes em si! A cidade está tão linda... Já tem os mercados de Natal... Tem tantas luzes e tudo... E quando tiver ainda pessoas vai ser ainda mais legal!
Hj eu devo ir no aniversário de uma polonesa e depois em um bar indie rock! (UHUUUUUUUUUU, descobri um! finally! não aguento mais salsa e reggaeton...)
Várias expectativas e nada de concreto, mas mesmo organizar isso tudo já não me dá muito tempo de passar aqui...

Antes de finalizar esse post absolutamente inútil, eu quero parabenizar meus novos mestrandos (meus porque eu tenho marte em leão e falo assim! :p): Marina, Luana, Simone e Gabriel! Sem esquecer da nossa mais nova doutoranda Sirlei!!!! E da Lara! Que vai para USP brincar de ser gente grande! Gustavo e Dani que já pensam na próxima fase e já estão nela... AI AI!




Simone maluca... Gabriel que apanha (dele mesmo) e chega lá todo roxo! E Luana... toujours blasée!



Nossa... Estou tão feliz por vocês... Por vocês todos! Cada um super mereceu estar lá e agora vai fazer um trabalho ainda mais legal.


Ai, mocinhos, como é pesada essa carga de já entrar no mestrado com tantos pares de olhos em cima de vcs, hein? Tem olhos até do outro lado do mundo!! Para falar bem, para botar defeito... Mas para qualquer coisa que vcs precisarem também. =)

Ai Marininha... Eu bati palminhas quando a SIMONE me contou (e não vc...). Esperemos que vc tenha a bolsa com certeza e, talvez, todos vocês. Porque, enfim... todo mundo sabe que bolsa para trabalhar direito vcs mais do que merecem hein... Já fizeram tudo isso sem bolsa, imagina com uma graninha no bolso pra ir no parceria almoçar mandioca! (e pagar a minha parte porque eu vou estar pobre quando eu voltar pro BR... e se vcs quatro tiverem bolsa... eu nunca mais vou rachar a conta, VIU!)

Enfim... parabéns a todos...







e Marina, te amo! X) Independente do lugar que vc passa eu te amo.... Mas vc passar no mesmo que eu, é legal, né?

Vou comemorar commmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm uma garrafa inteira de bordeaux! Para cada!!! (e amanhã.... eu não faço nada... mas quem se importa? Além do L.A.?)

Sério... é impressionante como eu fico feliz por vocês... graças a Zeus e a Nanna (agora que faço sumério...). Se a semana é difícil (eu perdi minha luva favorita =( ) vcs entram no mestrado e no doutorado... (ótima comparação... mas o que eu posso fazer sem minhas luvas numa cidade que neva?) De repente, fica tudo tão mais fácil quanto vc lembra que tem gente que vale a pena e sabe que eles estão se dando bem!

Ai... estou começando a ficar brega... e sentimentalóide... Mas eu to muito feliz!!!!!!!!! =D E falando isso alto e no quarto!!! Se meu vizinho russo ainda não tinha certeza que sou maluca, agora ele tem!

beijos!!!!!!!!! (eu acho que estou escrevendo uma carta... devia ter prestado mais atençao nas aulas de Ling-1)

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Aprendizagem

Ontem foi um dia muitíssimo produtivo.
Embora domingo eu tenha ficado em casa e lido 70(!!!!) páginas de um livro de Gramática Categorial hardcore, foi ontem (segunda) que eu aprendi mais coisas.
Eu finalmente entendi o posicionamento dos chineses aqui. Eu sempre odiei como eles se fecham no seu grupinho e ficam lá... Nem falo francês, nem querem ter amigos de outras nacionalidades, alguns não falam bom dia e existe uma no prédio ao lado que até responde os "bonjour" com sonoros "I hate u". Enfim... Ontem eu estava em um CS meeting (coisa da qual falarei daqui a pouco, porque também foi um aprendizado) e conversei com uma chinesa. Todo mundo falando em francês e a coitada (que já está aqui há 4 meses e só sabe falar 'oi' e 'tchau' em francês) perdida. Então ficamos conversando em inglês (e eu vi que meu inglês piorou muito de 3 semanas para cá... enfim... melhorará) e ela me contou das impressões dela da França e dos franceses. Disse que é todo mundo diferente e que ela não quer ter que ser amiga dessas pessoas para aprender uma língua. Bizarro... Outro dia eu falei exatamente isso para uma amiga que aos domingos conversa em francês com um americano-pé-no-saco... "Eu não quero ter que falar com ele para treinar meu francês!!!" A diferença é que essa chinesa sente essa recusa por todo mundo... que difícil... Que difícil morar num país assim e que difícil morar em um país por 4 meses e não falar a língua porque vc não gosta da cultura local.
Não é a posição que eu mais concorde no mundo... mas agora que eu a entendi... entendo melhor porque eles são assim e quase não detesto mais a chinesa que não responde meu 'bonjour'.

Outra coisa que aprendi... CS Meetings podem não ser insuportáveis. CS = couchsurfing.com (aquele site de mochileiros, blá blá blá...) Em cada grande cidade, há encontros da comunidade CS. Esses encontros deveriam para ser para integrar os estrangeiros que estão na cidade, mas nunca são (nem mesmo aqui... prova disso é que fui eu que falei com a chinesa perdida... e que todos os brasileiros ficaram entre eles porque estava realmente difícil se integrar...). Eu, ao menos, nunca vi um que alcance essa finalidade, e olha que já fui em muitos em diferentes países (olha que mocinha viajada ;) ). Enfim... eu não suporto CS meetings... acho que são date meetings para gente devagar que não sabe catar na balada (olha o palavreado...) e que prefere ficar ali no seu meinho social classe média altíssima. Nunca vi um CS meeting num lugar barato! Nunca vi um que seja num lugar típico (lembrem-se é para os estrangeiros!!!!!!!)! Mas a comunidade local sempre adora coisas caras e estrangeiras... E adora falar o quanto já viajou e como são genorosos e abrigam pessoas em suas casas.... Ai... Isso quando eles não estão muito ocupados dando em cima de pessoas de suas próprias cidades e deixam os estrangeiros lá perdidos... Enfim, essa é a minha imagem de CS meetings e aqui não foi diferente. MAS tinha também pessoas legais (como em QUASE todos os outros...) E agora que eu já sei qual deve ser a minha postura no CS meeting (ficar longe dos locais que estão interessados nas locais... e ir falar mesmo com os estrangeiros que geralmente estão tão perdidos quanto eu! e perder a vergonha.... essa vergonha que não é nada brasileira mas que eu ainda tenho... OK, um resquício pequeno, mas tenho!) acho que consigo aproveitar mesmo uma festa que antes eu odiaria.

Detalhe: eu quero aprender a gostar de ir lá pra treinar meu francês. hehehe Exatamente a postura contrária da chinesa.

Ontem eu ainda aprendi várias outras coisas... foi realmente um dia muito produtivo. Mas de todas as coisas a mais importante foi uma conversa que tive com uma aluna árabe no ateliê de conversação em português. Chineses/koreanos e árabes/indianos estavam sendo um problema, e aos poucos deixam de ser. Mas agora, vou almoçar e ler... Espero ter saco para voltar e postar sobre a árabe que me explicou a comunidade árabe aqui e lá.

domingo, 23 de novembro de 2008

Aniversários

É esperado que eu não passe nenhum aniversário meu aqui na França. Eu cheguei poucos dias depois do meu último e devo defender minha dissertação antes do próximo.
Eu não sei o que eu faria em um aniversário aqui. Em um aniversário meu.
Estando no Brasil, eu já resolvi, há uns anos atrás, passar sozinha. Mas lá foi uma super escolha, uma fuga (quase perfeita se não fosse pela minha mãe ter contado pra uma professora que estava comigo - a Mazé - que aquele dia era meu aniversário e eu ter ganhado um parabéns de vários desconhecidos em um restaurante caro).
Aqui eu não ia escolher fugir porque eu definitivamente não tenho do que. Se fosse uma fuga pro Brasil, eu teria pra onde! O que é imensamente melhor...
Mas no mundo real e financeiro as pessoas não fogem pro Brasil para passar um dia e voltam pra França depois (isso só acontece no meu mundo e no do Ivan! ;-) ).
Enfim... Estou feliz por não passar meu aniversário aqui e quero passar em Curitiba. Com as pessoas que eu amo e com a família que eu fiz lá.
Agora esse post era pra comentar os outros aniversários, não os meus.... Vários outros...
Depois que eu cheguei aqui muitas pessoas fizeram aniversário. Posso enumerar muitíssimas festas que eu gostaria de ter participado (desses librianos malucos e dos escorpianos que estão começando a fazer anos!)... Dois aniversários que eu esqueci e fiquei super chateada (do Churby e da minha prima Nayani)... Aniversários que eu queria estar junto pra festar, outros pra dizer que amo, alguns pra fazer os dois! Mas o que acabou mais me impressionando (ontem, que foi quando eu parei pra pensar nisso... justamente porque era mais um aniversário e nevava...) foi que de alguma forma todos os aniversários eu acabei comemorando.
Algumas pessoas receberam mensagens carinhosas com algumas palavras que eu não poderia dizer se estivesse aí/lá. Por alguns, eu bebi champagne (encomendada!!!), por outros cerveja alemã... Por outras tomei bordeaux pra encher a cara e não lembrar que eu não estava lá.
Engraçado que um dos aniversários que mais festei não teve bolo de cenoura, que há muito tempo era pra ter sido o prato principal da festa. Mas a gente comemora a festa dos outros com o que tem, né?
E se não tem aniversariante? Tem festa do mesmo jeito. Por vezes tem uma festa ainda maior, mesmo que dolorida.
Ontem nevava e o aniversariante de ontem não viu a neve.
E eu vi. E o meu cabelo ficou branco. E fazia frio.
Mas eu comemoro sempre a festa dos outros... E ontem eu comemorei.
Talvez eu comemore a festa dos outros porque a minha mesmo, seria muito mais dif'ícil. Se nevasse, eu não sei se eu ia ver a neve. Se tivesse bolo de cenoura, eu não ia querer me sujar com a cobertura. Se a champagne é pra mim, eu tenho vergonha quando todo mundo grita.
Preciso urgentemente de uma terapia. Ou de um aniversariante. Ou de um bordeaux.

Obviamente o bordeaux é mais fácil, mais barato e não dá dor de cabeça!!!!!!!! (porque eu não consigo escrever um único post mantendo um tom triste e sombrio? desse jeito meu blog nao vai ficar com cara de blog!) Como diria Juvenal (ainda que para a cerveja): In caelum cerevisiae est nullum, Itaque hic bibemus illum!

sábado, 22 de novembro de 2008

Neve!!!!

E mais nenhuma palavra...

sábado, 15 de novembro de 2008

Franceses de pinto pequeno



Não é que cada nacionalidade arruma um jeito diferente de exprimir suas frustrações?

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Humor francês




Heureux (feliz)... trop heureux!
Talvez o Gianecchini não fosse um mau ator... só tivesse um senso de humor francês!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Monólogo em uma soirée em casa

Que bom que estou na França e vou tomar uma boa cerveja de Noël enquanto termino meu trabalho.

Olha que lindo esse rótulo. Escrito em tantas línguas! Bière de Noël... Que fofo! Uma cerveja pro papai noel! Que legal, que legal! Nem ligo que paguei 1 euro a mais nesse packet...

Ok... Vamos lá, fazer o trabalho.


(liga o pc, procura o abridor...)

Que legal, né? Europa... vc paga 2,50€ numa caixinha de 6 longnecks de cervejas pro papai noel... great. magnifique.... ai ai!!!

Tá o trabalho... Mas antes, cara... olha esse rótulo! Tantas línguas... onde será que essa bière foi feita? Alemanha? França? Bélgica??? Ai Bélgica, por favor.... Bélgica... Bélgica... São Longuinho, São Longuinho se for na Bélgica te dou 3 pulinho.... Ok... São Longinho não é seu departamento, mas não custava tentar!


O QUE??????????????????????? EUA?????????????????

AI! Como uma Bière de Noël é norte americana? =( Ai... decepcionante... Não quero mais. Se ainda fosse uma Christmas Beer... Incroyable ça...


Não quero, não quero.

Tem uma alemã fuleira ali em baixo da pia e uma Paulaner que eu trouxe de Strasbourg. Ainda dá pra essa noite. Uma Bière de Noël... com o rótulo em tantas línguas... até em grego moderno... Americana...


Merda! Merde! Σκατό! Merda! Scheiße! Merda! (tem 3 ''merda'' porque italiano e espanhol tmb é assim, viu? ;) )


Não! Nada de Shit! NADA! Merde, autrefois!


Cacete....


Bom, vou provar. Vai que Saint Claus também seja um bom velinho.


(glup glup...)


=O

Meu zeus... Alguma coisa de boa os americanos tinham que saber fazer! Hum!!!!!!!!!!


Ou será que é boa porque na Europa todas as cervejas são boas, inclusive as americanas?

Nossa... deixa eu testar mais um pouco...



(glup glup...)

Sou uma empirista!


(glup glup...)
(glup glup...)
(glup glup...)
>suspiro<




Ah é! O trabalho! Droga... Por que eu fui lembrar que sou uma empirista? Eu não sou nada... eu odeio dados... exceto os de 20 lados. E acadêmicos. (Como esse de baixo... ;) Ele não é genial??????)




Bom, ok. Vamos lá... O trabalho, a cerveja... Ah! A cerveja, ela é preta!

Hunf... ultimamente os EUA têm se empenhado em melhorar sua produção, não? E aparentemente, toda ela acaba saindo preta. ;)

Qual será a cor do Papai Noel esse ano? Será que vai ter presentes pras criancinhas da Somália?

De repente, se o Papai Noel desse ano for americano e negro as coisas melhorem... Vou cruzar os dedos (te abandonar, viu São Longuinho!... vive me deixando na mão...) e deixar meu realismo-pessimismo de lado. Será que um americano pode de fato fazer algo, mesmo sendo americano? Ainda que negro! Talvez ser negra, já seja a melhor coisa que a cerveja americana pode fazer.

Ainda assim... hoje eu até vou abandonar o bordeaux a favor de outra coisa. A Bière Noir de Noël Americaine.

sábado, 8 de novembro de 2008

Rapidinha

Oi todo mundo! =)


Estou devendo um post ainda da viagem de Strasbourg... e muitos posts da vida aqui. Compras, a residência, as soirées, etc.
Não ando tendo nenhum tempo e agora tenho que terminar ainda um trabalho para enviar o Brasil, assim, vou deixar os posts longos para depois.
Só resolvi passar aqui para não deixar uma semana o blog sem vida, vcs sem notícias e o meu tempo bem utlizado.


Essa semana muitas coisas bastante fodas aconteceram. Algumas que merecem ser ditas aqui (como um passo infalso de um recifense que resultou em um joelho deslocado e muitos gritos de dor...) e outras não. Essa quarta-feira choveu como todas as quartas. E já estamos rindo disso. Toda quarta eu já saio com uma meia a mais na mochila (viram! agora eu uso mochila! pelo menos de quarta... porque eu levo o laptop e depois vou no supermercado! estou totalmente hippie de mochila... =p). E é muito legal perceber como algo que é terrível no início, depois é motivo de piada e como a gente pode se preparar bem para esse algo horrível só lembrando de por uma meia a mais na bolsa. É só por uma meia colorida e de dedinho que o dia fica bom.

Em Strasbourg, entre muitissimas outras coisas, eu aprendi a por capa de chuva para poder sair e sair animada do mesmo jeito!!

E se no final do dia, ainda assim está triste.... um bom bordeux custa 3 euros!
(como eu estou coelhística hj.... vou fazer muito dinheiro com essa minha auto-ajuda barata...)

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Espinha


Hoje eu acordei com duas espinhas e nenhum ano a menos.
Esse mundo realmente não é justo. A libertação das espinhas não foi a melhor coisa que os anos me trouxeram? E agora é o que esses mesmo anos me tomam.
Irônico como tudo que o tempo faz.
É ele que nos transforma em tudo aquilo que já odiamos, que nos toma o que nos foi querido, que nos impede de fazer o tudo, ler tudo, ouvir mais... É ele que nos mata.
E mesmo depois de velha ainda ouço que estou atrasada. Atrasada para que? Eu tenho duas espinhas! Se isso fosse há anos atrás eu não iria ao colégio, hoje até me dei o trabalho de vir ao trabalho.
E se vim porque dessa vez ninguém me disse "vá, vc está atrasada."
Como não tinha quem me dissesse, eu mesma o fiz. Ouvir assim, dentro da tua própria cabeça, uma voz te dizendo o que vc odiava.... É algo que o tempo me trouxe. Pelo menos o que eu me digo, eu ainda faço.
E o que me digo agora é "exprema isso, garota". ‘Garota’, não sei porque insisto em chamar-me de garota. Eu e minha luta contra o tempo. Contra o tempo e as espinhas. Destruidoras de beleza. Portadoras da insegurança. Razão de tanto medo. Quantas meninas não foram ao baile? Quantas vezes ele não a chamou para sair?
A insegurança de espinha e o medo do dia seguinte. Da vergonha que o tempo irá trazer. Dois aliados estragando nosso mundo. E a minha pele.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Sortie

Então... num sábado fomos (eu, Aline e Inge) com um programa da universidade chamado Alter Ego viajar por uma província daqui da França pertinha da província de Rhône-Alpes (a que abriga Lyon). A saída custou 5 euros de transporte e mais 7,50 de entradas. Muitos estudantes não puderem ir porque só tinha 60 lugares no ônibus e não tínhamos 2 ônibus porque o custo para os estudantes é baixo porque parte da viagem é custeada pela universidade, que diz não poder custear dois ônibus.
Bom, tinha sem exagero nenhum 20% de brasileiros, talvez mais. Eu tenho tido pouco contato com brasileiros aqui, fora as duas curitibanas mais próximas a mim, e a viagem me marcou bastante em relação a isso. Como as pessoas que vem do mesmo lugar e têm a mesma cultura vão até uma grutinha fazer um passeio e têm comportamentos tão diferentes? Fora detalhes (que eu não vou me comprometer aqui), me impressionou muito ver que as pessoas são diferentes entre si, independente da cultura. De repente vc pode conversar com uma canadense e encontrar um milhão coisas em comum e encontrar um brasileiro e pensar... "ai, ai... alguém aqui está no lugar errado."
Isso me sussega, porque quando eu cheguei eu não queria ficar tanto em contato com brasileiros, por motivos óbvios. Depois das duas meninas de Curitiba, as coisas ficaram mais calientes (que paradoxo, não?) e agora eu volto a pensar... sim, o que existe são pessoas, antes de nacionalidades. Claro existem culturas (o banheiro cheio de pepino sabe bem disso!), mas ainda assim, chega uma hora que isso não é tão marcante. Todo mundo fica mais triste quando chove (menos a Shirley Manson!), mas nem todo brasileiro é caloroso e nem todo chinês é porco. Nem todo francês recicla o lixo e a maioria nem lê no metrô.






Enfim... a viagem. Os lugares são lindos. Eu passei muito frio na gruta e 2 horas escutando sobre formação rochosas... A fazenda ecológica que fomos visitar também foi interessante, mas eu não tive muito saco. Tinha bodes e cabras, queijo, forno para pão... A gente tinha bebido um pouco de vinho no picnic e eu não tinha dormido nada na noite anterior. Resultado: um forno para pão sem produtos químicos nunca me pareceu mais entediante. Eu queria mesmo era dormir. =)



E, bom... eu sou ecológica até (tanto quanto de extrema esquerda ;-) ). Quero salvar o mundo, desde que isso não custe muito caro! Agora eu tenho uma preguiça desse discurso agrícola sem pesticida... Porque comer com pesticida se podemos comer sem? Porque é muito caro comer sem, mon chèr! E também porque a comida sem pesticida é feiosa... E sem carne é sem gosto! E porque tudo que é enlatado e industrializado é mais gostoso!!! Ontem... eu conheci uma alemã vegetariana que também tinha esse discurso... daí ela come chocolate porque leite a gente pode obter das fazendas ecológicas... ai que preguiça... e carne não? Vai ficar mais caro, mais demorado, mas dá! Daí ela não come carne porque isso faz com que tenha menos cereias para as crianças da África! oO Preguiça total...


Mas ela era ótima! Professora de línguas, extremamente engraçada, aberta e receptiva! Nem parecia alemã (e ela odiava que falavam isso pra ela hehehe porque significava que o poo dela não é lá tão legal...). Nesse momento estou ouvindo uma gritaria.... E ela é em português... se alguém me diz que não pareço brasileira, fico feliz?
Bom... Depois da fazenda, fomos para o melhor do dia! E de repente, até terminamos a garrafa de vinho!!!!!!! Uma vila medieval!!!!!!!! Só não tinha dragão... mas tinha taverna, igreja, torta quentinha na janela... Foi muito lindo. Eu andava na rua e ouvia um bardo! Quando paramos para tomar café, o jardim-mato da taverna era igualzinho a primeira fase do FFIX e eu escuta a música da batalha! Ta-na-na-na-na-nã! Foi muito emocionante... A vilinha mais jolie que eu já vi!





Esse dia foi bem bacana... a paisagem valeu a pena, embora isso tenha sido mais uma vez o de menos. Perouges, com certeza, significou para mim por toda a relação com o mundo medieval que eu ando traçando há uns anos. A gruta e a fazenda... bonitinhas. (A gruta tem um passeio, uma vez por ano, que vc pode fazer sozinho com uma lanterna... e isso sim me animou!) Mas ainda era o ônibus com 60 estrangeiros o mais interessante. Tinha uma polonesa lá... E ela era nariguda. E todo mundo pensa que eu sou polonesa =)
É tão engraçado isso... que no alto dos seus 23 anos bem vívidos eu olho pro meu nariz e digo... "Não é que vc é grande mesmo?" E ainda lembro do Cyrano! E do Gonzo! E não fico triste... e não fico braba porque alguém pensa que sou judia porque sou nariguda e ando de preto. Me divirto e penso... "se ao menos eu tivesse dinheiro..."





Bom, voltando lá ao dia... Quando cheguei em Lyon, ainda tive pique para tomar banho e sair com um pessoal do CS para badalar. Vinho, cerveja, champagne... Passeio o dia seguinte dormindo, mas foi ótimo. Se sentir definitivamente em casa, conhecer gente, bares novos, etc.
É engraçado dizer "se sentir em casa" e essa sensação vir no mesmo momento que vc está conhecendo gente... De repente, vc percebe que não tem casa, que a sua casa é o mundo... ou que eu sou uma tartaruga. E a casa sempre vai estar ali. =) Ainda bem...
Aparentemente, até mesmo sem o nosso querido bordeaux, ela vai estar aqui.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Ode

to my family






Ok, vamos encher a cara!

Descobriram...

por mim o "porquê" do meu blog:


"Porque a maneira de reduzir o isolado que somos dentro de nós mesmos, rodeados de distâncias e lembranças, é botando enchimento nas palavras." Manoel de Barros



quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Releituras

Eu não sou purista para releituras. Pós-maurício, não dá para ser. Pós-shakespeare já não dava. Nem pós Catulo ou Sêneca. (Não comentemos as releituras do Tim Burton, porque delas... eu não gosto!)


Bom, sou bem pouco purista. Releiam, Refaçam, Recriem, Retransformem... Re... Re... (Renata... estou com saudades e isso me lembrou algo... bon courage, mon chère! c'est aujourd'hui! Que ato falho, não? Tantos Rê's juntos hoje! )





No entanto, quando eu digo que sou BEM pouco purista, significa que ainda sou e que parte dos meus amigos (os antigos) podem se alegrar.





Sabe... há limites!







http://www.youtube.com/watch?v=jlFGMXIFOrY&feature=related


http://www.youtube.com/watch?v=zaIzrjUR9F8&feature=related



[arrumo os vídeos do post qdo a net ajudar! ;-) ]



Essa letrinha aí é horrível... e não há funcionalista que me diga que o escopo da tradução era manter o som e o ritmo que vá diminuir o quanto a PERCA nessa tradução foi grande! (Imaginemos agora os descontrucionistas se revirando em suas cadeiras - por que eles estão todos vivos! - e pensando que no alto de 2008, ainda tem gente falando em perca tradutória!)

Ah gente... Chico Buarque... vc vai deixar em segundo plano a letra?

Ah gente... Sexualidade brasileira... hahahaha vc vai deixar em segundo plano a sexualidade? =p

bebendo muito... ;-)

terça-feira, 14 de outubro de 2008

sábado, 11 de outubro de 2008

Timing...

Quando eu cheguei na França, tinha decidido que o que eu iria aprender aqui era ter tempo livre, ficar sem fazer nada e achar isso bom. Ser menos prática. Hoje é o primeiro dia que estou em Lyon e tenho muitas coisas para fazer, coloquei o relógio para despertar e ainda assim me atrasei. Hoje é o primeiro dia aqui que estou super feliz. Estou morrendo de dor de cabeça há dois dias, ainda não sei ir no médico (hehehe!), ainda não quero ir, mas o deadline de uma revista brasileira é amanhã e tenho que terminar meu artigo hoje pro Álvaro, meu revisor oficial, ler antes de eu enviar. Há dois dias que eu tô muito mal, há duas horas que o deadline é definifitivamente mais importante que a dor de cabeça e eu só parei agora para registrar que estou feliz!

Ah! Um outro motivo! Arranjei um trabalho! Um outro... conheci um linuxeiro que pode arrumar esse lixo de win-vista (ou mordor system como ele diz hehehe) para mim! Muitas coisas boas para um fim de semana pós-chuva que mal começou. Tudo isso merecerá posts decentes ainda... Mereceria taças de bordeaux, mas atualmente fico com um buscopan composto. Talvez dois!
Esse aí... é o meu relógio =)

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Il pleut...





Há dois dias sem parar!




Ontem, eu acordei cedíssimo para aula de sumério e não levei um guarda-chuva porque estava atrasada. Por sorte, eu tinha uma capa de chuva com torrezinhas-eifel (turístico, não?) na bolsa. Descobri da pior forma possível que as solas das minhas botas estão furadas e passei o dia inteiro com uma meia calça muito chique e rendada (que eu comprei em uma lojinha de 1,99 em Paris hehehe) molhada.




Ok... Sans souci! (E agora, finalmente descobrimos a troco de quê esse blog tem esse título.)




Enquanto eu andava pra Maison de l'Orient et de la Méditerranée, um monte daquelas folinhas amarelas e vermelhas ficavam presas na minha bota e todo aquele tapete de folinhas virou um rio bicolor. O pátio nunca tinha estado tão vazio e me pareceu que estava na hora do chão ser lavado por ali. Devia ter poeira de todo o mundo no jardim e talvez nós, estrangeiros, estivessemos precisando de um bom banho. Um bom banho francês. De perfume?











Sei que esses dias de chuva, embora estejam sendo lindos, estão sendo doloridos para muita gente. Mim inclusive. (Alguém aqui já ouviu falar do Mim, um bárbaro de 3 nível que....? hehehe Ok... piada interna.) Ontem eu fui até a recepção da Residência arrumar algumas coisas (que, por definicão, não estão prontas nunca) e vi uma oriental no telefone público agachada. Pensei "Ih, alguém já ligou para casa chorando hoje e antes de mim! Que bom!" Mas quando eu voltei pro quarto, uma hora depois, ela ainda estava lá e chorava e chorava... E eu fiquei pensando o que a minha mãe me diria se fosse eu quem estivesse ligando. E fiquei pensando finalmente se era uma mãe chinesa, tailandesa ou koreana que estava do outro lado. E o que ela diria.


Pela primeira vez, não fez diferença que a cozinha está suja por culpa das chinesas que moram comigo ou que a privada fica cheia de pepino quando algum koreano resolve que não quer comer pepinos. Ok, não sejamos cândidos a ponto de pensar que meus preconceitos se diluíram na água da chuva ou nas lágrimas da Mulan e que eu não vou mais ficar puta quando algum gansuniano que não tomou banho for a minha dupla na aula de francês. Eu vou ficar. Isso é o que eu sei fazer de melhor.


Mas minha mais nova habilidade é buscar outras sensações e limites (!), e pensar que eu não sou genial e sensível a ponto da chuva deprimir só a mim (e a Mim =p) é uma descoberta (quae sera tamen). Ou ainda, pensar que todos nós, por mais diferentes que sejamos, que comamos e cheiramos, estamos enfiados no mesmo bâtiment, e ao ouvir o mesmo barulho de chuva, ficamos todos na mesma angústia. Borocoxôs... para ser mais brasileiros nessa Babel de quatro andares.


Exceto, talvez, os mexicanos. Eles não param. Meu Zeus... Eles não param, não param de festar...


Vou beber uma garrafa inteira de bordeaux, porque hoje se a chuva não me deprimisse, o post o faria. ;-)